Editora Sulina
0

    Sua sacola está vazia.

Paixão e violência em três volumes

18/10/2003

Juremir Machado da Silva lança trilogia com temática urbana, ritmo ágil e linguagem coloquial.


Sexo, drogas e violência. Esse é o eixo temático da trilogia que Juremir Machado da Silva lança pela editora Sulina no próximo dia 1 de novembro, durante a 49a Feira do Livro, às 17h, no Pavilhão Central. 'Adiós baby', 'Nau frágil' e 'Ela nem disse adeus' são três novelas da série Mitomanias que se desenrolam em narrativa coloquial, rápida, por vezes rude, mas sempre pautada pelo humor e pela ironia, em um cenário contemporâneo e urbano. As obras podem ser lidas separadamente, sem uma ordem pré-estabelecida. 'O fio que as une é uma espécie de arqueologia do cotidiano da virada do milênio', esclarece o autor. As capas são assinadas pelo artista plástico Eduardo Miotto.

Para Juremir, o formato da obra é adequado ao ritmo acelerado e fugaz dos dias atuais, no qual o leitor, muitas vezes, opta pela transitoriedade da crônica. A novela surgiria como um gênero intermediário entre aquela e o romance; uma forma de aprofundar o enredo sem, contudo, exigir tanto tempo e atenção do leitor. 'Os temas são atuais, observáveis à nossa volta o tempo todo; nada mais apropriado, então, que a opção pela novela, um gênero pós-moderno por excelência', revelou. As histórias são ambientadas em Porto Alegre, e não faltam elementos como sedução, ironia, mentiras e reflexões mundanas sobre sexo e violência. Narrativas e estilos alternam-se para contar a descida aos infernos de um serial killer em 'Nau frágil'; a obsessão de um marido apaixonado às últimas conseqüências em 'Ela nem disse adeus'; e a saga de um policial fracassado em busca do 'caso' da sua vida em 'Adiós, baby'. Os personagens transitam por situações-limite, construindo universos paralelos, mas absolutamente terrenos, refúgios em meio ao caos.

Autor também de 'Cai a noite sobre Palomas', 'Anjos da perdição', 'Brésil, pays du présent', 'A miséria do cotidiano', 'Para navegar no século XXI' e 'Tecnologias do imaginário', Juremir estará lançando ainda, durante a Feira, uma tradução de 84 poemas da obra 'As flores do mal', de Charles Baudelaire, em estilo e linguagem atuais. 'A idéia é resgatar o impacto da obra de Baudelaire sobre o leitor, perdido em traduções cuja linguagem pouco evoluiu através do tempo', relata.

Ficcionista, tradutor, ensaísta, professor universitário e jornalista, a trajetória do autor ainda inclui o doutoramento em Sociologia pela Universidade René Descartes, Paris V, Sorbonne, e a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da PUC-RS. Juremir assina coluna duas vezes por semana, às quartas e aos domingos, no Correio do Povo.

(Correio do Povo - Porto Alegre)

Link: