Editora Sulina
0

    Sua sacola está vazia.

Jornalismo, publicidade, Internet e notícia

18/10/2003

'Jornalismo brasileiro', de José Marques de Melo, e 'Internet, e depois? - Uma teoria crítica das novas mídias', de Dominique Wolton, são duas recentes edições da Sulina. Melo apresenta o perfil do jornalismo brasileiro, tema que é desenvolvido desde suas origens até a relação com as tendências internacionais da produção noticiosa com a produção que é feita na imprensa brasileira. O assunto foi dividido pelo autor em três partes diferentes, 'Itinerários', 'Evidências' e 'Polêmicas'. O sociólogo francês Dominique Wolton, autor de vários títulos de renome, apresenta o depois da Internet como o 'agora' da nossa modernidade. Seu livro é uma verdadeira reflexão sobre o valor social das novas tecnologias de educação.

Os elementos do jornalismo, jornalismo em crise, quantos órgãos de imprensa conseguem sobreviver só do que ganham com rendimentos publicitários, a tendências às megacorporações e o jornalismo de hoje são alguns dos temas abordados no livro 'Os elementos do jornalismo - O que os jornalistas devem saber e o público exigir' (Geração Editorial). Escrito pelos jornalistas norte-americanos Bill Kovach e Tom Rosenstiel, este é um dos exames mais consistentes, sistemáticos e abrangentes jamais feitos sobre o processo de recolher e apurar informação e suas responsabilidades. A obra ganhou prefácio, na edição nacional, do jornalista Fernando Rodrigues, da Folha de São Paulo.

A Summus Editorial lançou 'O jornalismo na era da publicidade', de Leandro Marshall, que analisa a fusão de diferentes áreas da comunicação num novo contexto em que publicidade e propaganda determinam como deve ser preparada a notícia. O livro apresenta uma análise da influência da publicidade sobre os meios de comunicação. Entre outros temas, ele aborda as formas de submissão das empresas jornalísticas às regras do mercado, apresenta 25 formas disfarçadas de publicidade dentro do jornalismo, comenta o chamado jornalismo 'cor-de-rosa', preparado para não desagradar a ninguém e alerta para a falta de questionamento e aprofundamentos dos fatos. A obra é dividida em cinco capítulos, narrando a história do jornalismo e as modificações sofridas ao longo de quase 300 anos de imprensa, até a realidade do jornalismo atual, na ótica da Escola de Frankfurt, e dos pensadores mais contemporâneos, como Haug, Marcondes Filho, Alberto e Baudrillard, entre outros.

O professor da Universidade Federal de Santa Catarina Nilson Lage é o autor de 'Ideologia e técnica da notícia' (Insular), obra escrita há 22 anos que apresenta uma pesquisa abrangente e uma análise original e crítica do jornalismo, dos meios de comunicação e da notícia.

(Folha da Tarde - Porto Alegre)



Link: